Contrate uma palestra!

e-mail: | formulário de contato

Voltar a página inicial Home     Entre em contato Contato     Telefones: (11) 3075.3040 / (11) 976.274.546
Tom Coelho - Palestras e Treinamentos Tom Coelho - Palestrante
Tom Coelho Palestras e Treinamentos SIPAT e
Setor Público
Educação e Sistema S Artigos e Publicações Clientes e Parceiros Imprensa Responsabilidade Social
Artigos       Livros       Vídeos       Parábolas


Artigos e Publicações

Seis categorias de acidentes no trabalho



"Há dois tipos de pedestres: os rápidos e os atropelados."
(Lord Thomas Robert Dewar)



Tenho ministrado palestras sobre prevenção de acidentes em grandes empresas por todo o Brasil. E na fase de personalização do trabalho, ao acessar as estatísticas de acidentes da companhia, surpreendo-me com a variada metodologia utilizada no mapeamento das ocorrências que pode, de forma consciente ou não, mascarar os dados, levando a conclusões inadequadas e comprometendo a qualidade das decisões tomadas.
 
Podemos classificar os acidentes em seis categorias:
   
1. Acidentes com perda de tempo. São aqueles que levam ao afastamento temporário ou permanente do trabalhador de suas funções para sua recuperação. Quando acontece um acidente com afastamento, o “placar” de segurança, painel em geral posicionado na entrada das empresas ou de suas unidades fabris, é zerado, iniciando uma nova contagem.
 
2. Acidentes sem perda de tempo. São caracterizados por pequenas escoriações ou lesões, não levando ao afastamento da rotina de trabalho, demandando apenas primeiros socorros. Um corte no dedo ou uma leve torção no pé provocada por um escorregão são exemplos típicos.
 
3. Acidentes impessoais. Tecnicamente são aqueles cuja caracterização independe de existir acidentado. Prefiro defini-los como ocorrências que provocam dano e/ou perda patrimonial. Uma colisão de veículo ou queda de um equipamento ilustram este conceito.
 
4. Incidentes ou quase acidentes. Esta categoria congrega situações nas quais houve iminência de ocorrer um acidente, porém sem resultar em lesão, doença ou fatalidade. Por exemplo, uma pessoa transitando por uma área de movimentação de empilhadeiras que chega próximo de ser atingida, pois o operador não pode vê-la, mas que evita o acidente porque estava atenta.
 
5. Acidente de trajeto. Ocorrem durante o deslocamento do trabalhador seja nas dependências da empresa, seja no trajeto de sua residência ao local de trabalho e vice-versa.
 
6. Doenças profissionais. São consideradas acidentes de trabalho quando produzidas ou desencadeadas pelo exercício da atividade laboriosa. Nesta categoria incluímos os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT), dentre os quais os mais conhecidos são as lesões por esforço repetitivo (LER).
 
Esta classificação dos acidentes em categorias merece duas reflexões. A primeira, com respeito à denominação “com ou sem perda de tempo”. Quando a utilizamos, estamos dando foco e relevância sobre um atributo técnico, o tempo perdido, denotando uma preocupação singular com a produção em lugar do trabalhador. Prefiro adotar como terminologia “com ou sem afastamento” transferindo, desta forma, a ênfase para um atributo humano.
 
A segunda reflexão reside nos chamados “quase acidentes”. Exatamente por eles não encerrarem um evento com qualquer dano, muitas vezes não são comunicados pelos trabalhadores e, quando o são, deixam de ser catalogados, malogrando as estatísticas reais da empresa. Os incidentes são particularmente importantes porque carregam consigo a semente da prevenção.
 
Assim, recomendo que você faça uma revolução na forma de registrar seus acidentes de trabalho. É provável que, num primeiro momento, os números apresentem um salto, em especial devido aos incidentes. Mas esteja certo de que é a partir de informação qualificada que ações preventivas poderão ser efetivamente desencadeadas.
 
Resgatando a frase que prefacia o texto, o atropelado poderá engrossar as estatísticas de acidentes com afastamento. Já o pedestre rápido possivelmente representará um caso de quase acidente. Por isso, eu incluiria um terceiro tipo de pedestre: o cauteloso, que com atenção e responsabilidade cruza a rua. Este é o que permanecerá íntegro. E vivo.


Data de publicação: 22/09/2006


Tom Coelho é educador, palestrante em temas sobre gestão de pessoas e negócios, escritor com artigos publicados em 17 países e autor de nove livros. Contatos: atendimento@tomcoelho.com.br. Visite www.tomcoelho.com.br, www.setevidas.com.br e www.zeroacidente.com.br.




Artigos relacionados

  • Tragédia não é fatalidade
    Fatos do naufrágio em Cananéia/SP e o que deve ser feito para evitar que este tipo de tragédia se repita.
     
  • Tempo perdido
    Jogamos no lixo 19 dias por ano apenas com deslocamento entre casa e trabalho.
     
  • Idiotas e zumbis
    Uma reflexão sobre padrões de comportamento com base em três episódios e sua correlação com a educação.
     
  • Terrorismo silencioso
    O atentado ao Charlie Hebdo deve ser repudiado. Mas seria desejável igual envolvimento da mídia e das pessoas em outros temas.
     
  • Não fique doente
    A baixa qualificação dos profissionais da área médica e o custo dos medicamentos tornam a saúde um privilégio acessível a poucos.
     
  • Comportamento seguro
    A segurança é um aspecto negligenciado na vida pessoal, familiar e corporativa. É tempo de se desenvolver uma cultura de prevenção.
     
  • A vida sem celular
    Três lições que aprendi após ter o celular furtado e como passei a viver sem ele.
     
  • Quatro pilares para o sucesso
    Físico, técnico, tático e psicológico. São estes os quatro princípios fundamentais para o êxito pessoal e corporativo.
     
  • Lei Muda
    É imperativa a criação de uma lei proibindo o uso de telefone celular por parte de motoristas enquanto dirigem.
     
  • A face oculta dos planos de saúde
    Parte dos problemas que afetam a qualidade dos serviços prestados por planos de saúde privados são responsabilidade também dos usuários do sistema e não apenas das operadoras.
     

Procura de artigos


Categorias


Traduzir / Translate



Ao redor do mundo


Hoje os artigos de Tom Coelho são publicados regularmente por mais de 800 veículos, com divulgação em 17 países: Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Uruguai, Venezuela, Panamá, México, Estados Unidos, Portugal, Espanha, Inglaterra, França, Itália, Cabo Verde e Japão.

Brasil Argentina Bolívia Chile
Colômbia Uruguai Venezuela Panamá
México Estados Unidos Portugal Espanha
Inglaterra França Itália
Cabo Verde Japão


Clientes

Patrocinadores

ComTexto Promo Press - Gráfica off-set e digital Qualidade em Quadrinhos Siamar - Recursos para treinamento Success Tools - Soluções para você e seu negócio TTI SUCCESS INSIGHTS – Pensou em assessment, pensou na gente TW Latin America - Soluções para internet
tom coelho © 2017 - todos os direitos reservados.

Desenvolvido e
hospedado por
tw Soluções para internet
Servidores dedicados, em nuvem e desenvolvimento
www.tw.com.br